Assista ao Vídeo Manifesto dos Indigos - Os Visionários do Caminho





Vídeo Institucional da Escola de Criatividade do Instituto
Mensageiros do Amanhecer






Uma aula numa Oficina da ESCOLA DE CRIATIVIDADE da Casa Índigo

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Fossa Séptica Biodigestora



[Imagem: fossa1.jpg]




Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e o Abastecimento, a agricultura de base familiar reúne 14 milhões de pessoas, mais de 60% do total de agricultores, e detém 75% dos estabelecimentos agrícolas no Brasil. É comum nessas propriedades o uso de fossas rudimentares (fossa "negra", poço, buraco, etc.), que contaminam águas subterrâneas e, obviamente os poços de água, os conhecidos poços ”caipiras”. Assim, há a possibilidade de contaminação dessa população, por doenças veiculadas pela urina, fezes e água, como hepatite, cólera, salmonelose e outras.

O processo de biodigestão de resíduos orgânicos é bastante antigo, sendo que a primeira unidade foi instalada em Bombaim, na Índia em 1819; na Austrália uma companhia produz e industrializa o metano a partir de esgoto desde 1911. A China possui 4,5 milhões de biodigestores que produzem gás e adubo orgânico, sendo que a principal função é o saneamento no meio rural (http://www.cdcc.sc.usp.br/escolas/julian...s.html#6). 
No Brasil, a ênfase para os biodigestores foi dada para a produção de gás, com o objetivo de converter a energia do biogás em energia elétrica através de geradores. Isso permitiu melhorar as condições rurais, como por exemplo o uso de ordenhadeiras na produção de leite, e outros benefícios que podem ser introduzidos. Esse processo realiza-se através da decomposição anaeróbica da matéria orgânica digerível por bactérias que a transforma em biogás e efluente estabilizado e sem odores, podendo ser utilizado para fins agrícolas. As fases do processo constam de: fase de hidrólise enzimática, ácida e metanogênica (Olsen & Larsen, 1987), as quais eliminam todo e qualquer elemento patogênico existente nas fezes, devido principalmente, à variação de temperatura. Com isso, o processo de biodigestão de resíduos orgânicos é uma possibilidade real a ser considerada para a melhoria do saneamento no meio rural.


[Imagem: fossa3.jpg]


Em suma, o biodigestor aqui desenvolvido tem dois objetivos: 1) substituir, a um custo barato para o produtor rural, o esgoto a céu aberto e as fossas sépticas e 2) utilizar o efluente como um adubo orgânico, minimizando gastos com adubação química, ou seja, melhorar o saneamento rural e desenvolver a agricultura orgânica.

[Imagem: fossa1.gif]
Figura 1a - Todo o sistema

O sistema (figura 1a) é composto por duas caixas de fibrocimento ou fibra de vidro de 1000 L cada [5], facilmente encontradas no comércio, conectadas exclusivamente ao vaso sanitário, (pois a água do banheiro e da pia não têm potencial patogênico e sabão ou detergente tem propriedades antibióticas que inibem o processo de biodigestão) e a uma terceira de 1000 L [6], que serve para coleta do efluente (adubo orgânico). As tampas dessas caixas devem ser vedadas com borracha e unidas entre si por tubos e conexões de PVC de 4", com curva de 90o longa [3] no interior das caixas e T de inspeção [4] para o caso de entupimento do sistema. Os tubos e conexões devem ser vedados na junção com a caixa com cola de silicone e o sistema deve ficar enterrado no solo para manter o isolamento térmico. Inicialmente, a primeira caixa deve ser preenchida com aproximadamente 20 L de uma mistura de 50% de água e 50% esterco bovino (fresco). O objetivo desse procedimento é aumentar a atividade microbiana e consequentemente a eficiência da biodigestão, dever ser repetido a cada 30 dias com 10 L da mistura água/esterco bovino através da válvula de retenção [1]. O sistema consta ainda de duas chaminés de alívio [2] colocadas sobre as duas primeiras caixas para a descarga do gás acumulado (CH4). A coleta do efluente é feita através do registro de esfera de 50 mm [7] instalado na caixa coletora [6]. Caso não se deseje aproveitar o efluente como adubo e utilizá-lo somente para irrigação, pode-se montar na terceira caixa um filtro de areia, que permitirá a saída de água sem excesso de matéria orgânica dissolvida (figura 1b).

[Imagem: fossa2.gif]

Figura 1b - 3a. caixa projetada para remoção da matéria orgânica


A lista de material necessário para a construção do sistema é a seguinte:

Item Quant. Unidade Descrição
01 03 pç Caixa de fibrocimento ou fibra de vidro de 1000 L
02 06 m Tubo de PVC 100mm para esgoto
03 01 pç Válvula de retenção de PVC 100mm
04 02 pç Curva 90° longa de PVC 100mm
05 03 pç Luva de PVC 100mm
06 02 pç Tê de inspeção de PVC 100mm
07 10 pç O’ring 100mm
08 02 m Tubo de PVC soldável 25mm
09 02 pç Cap de PVC soldável 25mm
10 02 pç Flange de PVC soldável 25mm
11 01 pç Flange de PVC soldável 50mm
12 01 m Tubo de PVC soldável 50mm
13 01 pç Registro de esfera de PVC 50mm
14 02 tb Cola de silicone de 300g
15 25 m Borracha de vedação 15x15mm
16 01 tb Pasta lubrificante para juntas elásticas em PVC rígido 400g
17 01 tb Adesivo para PVC – 100g
18 01 litro Neutrol

FERRAMENTAL

Item Quant. Unidade Descrição
01 01 pç Serra copo 100mm
02 01 pç Serra copo 50mm
03 01 pç Serra copo 25mm
04 01 pç Aplicador de silicone
05 01 pç Arco de serra c/ lâmina de 24 dentes
06 01 pç Furadeira elétrica
07 01 pç Pincel de ¾’
08 01 pç Pincel de 4”
09 01 pç Estilete ou faca
10 02 fl Lixa comum no. 100

Se não for utilizar o efluente como adubo orgânico, mais:

Areia fina lavada
Pedra britada nº 1
Pedra britada nº 3
Tela de nylon fina - tipo mosquiteiro

 
Fonte: http://www.cnpdia.embrapa.br/produtos/fossa.html
Publicado em: http://forum.antinovaordemmundial.com/  


 
 

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Um Método Simples de Forno Solar



[Imagem: min7.jpg]
Finalmente, um projeto que pode ser realizado em 2 a 4 horas com um custo mínimo.


Ficou comprovado através de pesquisas feita em Seattle e Arizona, que um forno para cozinhar com a luz solar é mais simples de ser construído do que muitos métodos simples usados atualmente. Recentes descobertas proporcionam um método mais simples e eficiente para a construção de um forno solar, em poucas horas e com pouco dinheiro ou recursos. Isto também será um bom projeto para ser utilizado em oficinas, além do que se despenderá menos tempo na construção e mais na discussão da concepção do forno solar, tais como: materiais alternativos, métodos de cozimento, ambientes culturais, etc. Siga as instruções abaixo, para desenvolver o seu projeto:
Isolar as paredes não é o essencial — um espaço de ar é tudo o que será necessário.
O papel de alumínio pode ser reduzido para somente uma camada (apesar de que uma camada de papel alumínio dentro de cada caixa tornará o forno mais quente).
O espaço de ar entre as paredes pode ser bem pequeno. O menor espaço de ar que foi testado é uma polegada, mas nós acreditamos que com muito menor espaço ele funcionará.
Qualquer tamanho de forno funcionará. Porém, em geral, os fornos mais largos serão mais quentes. O fator limite será a proporção entre a quantidade de comida e o tamanho do forno (no final de setembro, em Seattle, foi cozinhado um litro de beterraba usando-se um forno com um orifício de 25cm x 35cm).
Nossa experiência mostra que uma camada dupla de membrana de plástico funciona no mínimo tão bem quanto um simples espelho.
Fornos baixos funcionam melhor porque possuem menor área para concentrar o calor. É melhor que o forno seja um pouco maior do que a panela que for usada.


Um Projeto Novo e Simples


Tendo estes fatos em conta, nós podemos assegurar que o forno solar pode ser construído por qualquer um que tenha acesso à caixa de papelão, alumínio, cola (a cola feita com trigo funciona muito bem) e plástico ou espelho.


Que Será Preciso:


Duas caixas de papelão, feitas em casa, achadas ou compradas. Qualquer tamanho funcionará. A proporção entre as duas caixas não é crítica. Sugerimos que a caixa de dentro tenha no mínimo 38cm x 38cm. A caixa de fora deve ser larga em toda a volta, tendo no mínimo 2.5cm de diferença entre as duas caixas para o espaço de ar. A distância entre as duas caixas não precisa ser igual em toda a sua volta. Assim, com caixas retangulares, o comprimento deve ter um espaço de ar tão grande quanto os lados menores ou vive-versa.
Uma folha de papelão para fazer a tampa. Esta parte deve se estender no mínimo 7.5cm em toda a volta do forno quando terminado.
Um pequeno rolo de papel alumínio.
Um pequeno jarro de tinta preta "não tóxica" ou "fuligem preta" de madeira limpa.
No mínimo 8 once de cola branca ou cola de trigo.

[Imagem: min1.gif]


Construindo a Base

Dobre as abas fechando-as no topo da caixa de fora; coloque a caixa de dentro em cima e trace uma linha em volta da caixa por cima da caixa de fora. Remova a caixa de dentro e corte junto da linha para formar um orifício no topo da caixa de fora (figura 1).

[Imagem: min2.gif]


Decida qual a profundidade que se deseja para o forno (sendo no mínimo 2,5cm maior que a maior panela e 2,5cm menor que a caixa de fora) e faça um corte no canto da caixa de dentro na altura própria. Dobre cada lado para baixo formando abas estendidas (figura 2). Torna-se mais fácil dobrar quando se faz primeiro uma linha firme a partir do fim de um corte para o outro onde as abas devem ficar.

Cole o papel alumínio dentro de ambas as caixas e também na parte que restou da aba da caixa de fora. Não perca tempo tentando manter limpo o lado de fora da caixa, uma vez que ela nunca será vista, nem terá nenhum revestimento. O lado de dentro será visível mesmo depois da montagem, desse modo, deve-se dar maior importância a ela. Cole a aba de cima fechado-a na caixa de fora.

[Imagem: min3.gif]


Coloque maços de jornal amassados dentro da caixa de fora de modo que quando você colocar a caixa de dentro na caixa de fora, as abas da caixa de dentro só tocarão o topo da caixa de fora (figura 3). Cole estas abas em cima da caixa de fora. Tire o excesso no comprimento para ter o mesmo perímetro da caixa de fora. A base está terminada.

[Imagem: min4.gif]

[Imagem: min5p.gif]


Construindo a tampa


Pegue uma folha larga de papelão e coloque em cima da base. Trace um contorno e, em seguida, corte e dobre para baixo os cantos para formar a tampa com 7.5cm. Dobre e cole os cantos em volta (figura 4). Adapte o enrugamento da folha de modo que elas fiquem da esquerda para a direita assim, mais tarde, poderá ser inserido o suporte dentro da parte enrugada da caixa (figura 5).

[Imagem: min6p.gif]


Uma maneira de se fazer a tampa se encaixar bem é manter um lápis ou caneta contra o lado de fora da caixa quando se estiver preparando-a (figura 5). Para fazer a aba refletora, trace uma linha na tampa formando um retângulo no mesmo tamanho que o forno aberto. Corte em volta dos três lados e dobre a aba resultante para cima formando o refletor (figura 6). Coloque papel alumínio no lado de dentro da aba. Para fazer um suporte inclinado, use um arame grosso (tipo o usado para fazer cabide) com 30cm de comprimento, como o indicado na figura 6. Insira-o na parte enrugada da caixa, como exibido.

Próximo passo, vire a tampa de cabeça para baixo e cole o saco próprio para cozinhar (ou um material envidraçado) no lugar. Isto faz uma camada dupla de plástico. As duas camadas tendem a separar cada um para formar um espaço de ar como no forno. Quando se usa este método, é importante também colar o saco fechado com o fundo aberto. Isto impede que o vapor d'água entre no saco e se condense. Como alternativa, pode-se cortar qualquer tamanho do saco aberto para formar uma folha plana e largo o bastante para cobrir o forno aberto.

Finalmente, para fazer o tabuleiro, corte um pedaço de papelão, do mesmo tamanho do fundo do interior do forno e aplique papel alumínio em um lado. Pinte o lado em que está o papel alumínio de preto e deixa ele secar. Coloque-o no forno (o lado preto para cima) e coloque as panelas sobre isto quando estiver cozinhando.


Improvisando Eficiência

O forno construído, cozinhará muito bem durante a maior parte do verão. Caso se deseja melhorar a eficiência para ser capaz de cozinhar quando o tempo estiver nublado, pode-se modificar seu forno em qualquer ou de todas as maneiras a seguir:

Faça pedaços de papelão envoltos em papel alumínio do mesmo tamanho que os lados do forno e coloque-os nos espaços da parede.
Faça um novo refletor do tamanho da tampa.
Faça um tabuleiro usando alumínio reluzente e coloque-o na parte inferior do forno em pequenas tiras de papelão.


Fonte:http://solarcooking.org/portugues/minimum-pt.htm 
Publicado em: http://forum.antinovaordemmundial.com/


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Biodigestor: Construção e Desenho



[Imagem: biogas-2.jpg]
Abaixo está um desenho que mostra o tipo de biodigestor caseiro que construiu o Grupo de Mulheres de Santa Fe no seu projeto de biogás. Logo seguem as instruções da construção do biodigestor. Por favor revise todas as instruções e contacte ao Thomas Carmona com qualquer pergunta específica. Se quer aprender mais sobre o biogás no mundo, veja a nossa página de artículos do biogás (castelhano). Se quer ver outro tipo de biodigestor que se chama "salchicha", tem un video que se pode ver en YouTube (está em castelhano).

[Imagem: biodigester-sketch-2.jpg]
Acima é um desenho do perfil de um biodigestor para visualizar melhor o conceito. No desenho, a letra A representa o tanque do biodigestor onde a água e o esterco (estrume) são digeridos pelas bactérias. Ao trabalhar com o esterco (estrume) das vacas num biodigestor deste tamanho (1,9 metros de profundidade X 1,5 metros de largura X 3 metros de comprimento), todos os dias você precisa adicionar 10 litros de água e 5 litros de chorume. Ao trabalhar com dejetos suínos você trabalha com um rácio 1:1, ou melhor, 5 litros de água para os mesmos 5 litros de chorume.
Na Costa Rica, eles usam o dobro de água para o estrume das vacas porque o é mais fibroso do que a dos suínos. Portanto, tenha em mente que o o gado alimentado como o grão pode produzir o estrume menos fibroso, e por isso, se pode digerir mais facilmente. Nos quadros B e C, se representam os tubos da entrada e da saída respectivamente. O tubo de entrada deve entrar o tanque perto do fundo e o tubo de saída deve entrar o tanque abaixo da primeira linha do bloco de cimento. D e E representam a banheira de mistura e à banheira de recolha respectivamente. A banheira de mistura idealmente terá mais de 15 litros de volume, a fim de homogeneizar cuidadosamente a água e o estrume. A mistura deve ter uma consistência uniforme para facilitar a digestão óptima em todo o tanque. Além disso, no desnho, os verdes círculos representam os pins que soportam o marco de tubo PVC no caso que o nível de água diminui drasticamente. Os círculos roxos representam os pins contra os cuais o marco de tubo PVC pega um pouco mas abaixo da superficie da água. A fachada de tubos que entra em cada lado do tanque a fim de se realizar a mistura do tanque com a corda que tem 3-5 envases plásticos de um galão cada um, meio-cheios com areia. Quando duas pessoas agitam dum lado ao outro esta corda por alguns minutos diários, os galões parcialmente submersos quebram qualquer filme que pode se formar na superfície, sufocando as bactérias no tanque. A linha amarela representa o nível do líquido. Repare que o nível vem até ao aro do tubo saída. Essa paridade é importante, pois cada dia que você coloca 15 litros da mistura, o tubo de saída, em teoria, irá descartar o mesmo volume na banheira de coleção. A cúpula negra que paira sobre o tanque é o plástico salinero que abriga os balões contra os pins superiories (circulos roxos). O biogás, em seguida, escapa através da
tubulação de PVC representada pela linha azul que se estende acima do meio do plástico. Através desta tubulação o biogás é transportado para a cozinha para ser queimado, usado para cozinhar.

[Imagem: biogas-2.jpg]
 

O biodigestor que o Grupo de Mulheres da Santa Fé utiliza é bastante simples e barata. Algumas das tarefas, como a cavar o buraco, pode ser bastante um trabalho intenso, e algumas das tarefas exigem certas habilidades, como a criação de cimento e paredes de cimento, que bloqueiam, mas o custo dos materiais é relativamente modesto, mais o menos $300 USA (2006) na Costa Rica, tanto como o tempo de construção é bastante curto, cerca de uma semana. Abaixo está uma lista de materiais essenciais a mais que o Grupo de Mulheres da Santa Fé utiliza para os seus biodigestores. A fim de facilitar uma boa compreensão das instruções, posteriormente de todas as matérias na lista incluirá uma breve descrição das suas funções no funcionamento do biodigestor. Algumas das matérias não incluídos na lista não são tão essenciais e pode ser substituídos por outros componentes que são mais convenientes para a sua situação particular. Essas opções serão explicadas mais adiante.
 
Quantidade Descrição

2 Metros cúbicos de areia para misturar com o cimento para fazer as paredes do biodigestor e para preencher o bloco de cimento
1 Metros cúbicos de rocha para misturar com o cimento e as citadas areia
5.5 Metros de um forte, mas flexível, plástico com pelo menos 2,8 metros de largura. Este plástico serão utilizados para conter o biogás que é produzido no tanque do biodigestor
4 Medidores de 3 "PVC tubulação a ser usada para a entrada e saída para os tubos do tanque do biodigestor
9 Sacos de 50 kg de cimento para fazer as paredes e do piso do tanque, bem como para colmatar as três fileiras de blocos de cimento. Você também pode utilizar o cimento para montar a mistura tubo da entrada tubo.
60 Blocos de cimento medindo 12 centímetros X 20 centímetros X 40 cm para fazer as três linhas onde se colocam os pins inferiores e superiores
* 1 / 2 "PVC tubulação suficiente para fazer uma moldura retangular com uma circunferência de 16,6 metros e levar o biogás a partir do biodigestor à cozinha onde será queimado
* Varilla suficiente para fixar as três fileiras de blocos de cimento ao longo da borda do tanque
2 Tubos com um cotovelo arredondado para colocar em cada extremidade da biodigestor como mostrado na figura acima. A corda deve ser encadeadas por dentro desses tubos.
5 metros de uma corda delgada para misturar à água e esterco dentro do tanque
3-5 Envases de um galão semi-preenchidos com areia para ser anexada à corda, parcialmente submerso na mistura de água/estrume para quebrar qualquer filme espesso acumulado na parte superior do tanque
20 Tubos curvados para ser os pins superiores. Veja as fotos abaixo para ver os tubos que usaram as mulheres da Santa Fé.
12 Tubos lisos para os pins superiores. Outra vez, ver as imagens e você deverá ser capaz de encontrar algo semelhante numa loja perto de onde está.

 
Construção de um biodigestor

[Imagem: biodigester.jpg]
 
Agora que você conhece um pouco sobre como um biodigestor funciona e os materiais básicos necessários, serão mais fácil as seguintes instruções. Para construir o biodigestor, primeiro você precisa para cavar o buraco. O buraco deve ser 1,5 metros de largura por 3 metros de comprimento (ou mais, caso você seja capaz de maior produção, mas as medições do plástico aqui são indicados para um biodigestor de 3 metros de comprimento) de 1,3 metros de profundidade (as três fileiras de bloco de cimento deve dar um total de 1,9 metros de profundidade). Depois que o buraco é fixado para as boas dimensões, o que você precisa para escavar as duas valas--uma para a entrada, e outra para a saída. (Veja a foto abaixo para ver a vala de entrada na vanguarda com os 3 tubo de PVC colocado dentro) A entrada deve ser uma vala cavada dum ângulo cerca de 45°, a entrada no tanque o mais próximo possível do fundo do possível, não deixando mais de 30 centímetros entre o ponto de entrada e o fundo do biodigestor. O tubo de saída deve ser cavado em cerca de um ângulo de 30° para que a vala entre no tanque não superior a 40 centímetros do topo do que deveria, neste momento ser um 1,3 metros de profundidade no buraco. A entrada e saída podem ser colocados agora ou depois da criação dos paredes de cimento, certificando-se de que eles estão fechados firmemente dentro dos muros de cimento e não se ater fora demasiado longe para o reservatório. Além disso, você precisa ter certeza de que o tubo de saída está exposto acima pelo menos 40 centímetros. (Isto é mais ou menos onde vai acomodar o nível de mistura de água/estrume quando você encher o tanque) O topo do tubo de entrada deve ser, pelo menos, 70 centímetros acima do topo do tanque neste momento.

[Imagem: biodigester-2.jpg]
 
Então, não há paredes de concreto. A quantidade de material pode ser variar, a fim de fazer isso porque existem pessoas que utilizam diferentes proporções de cimento, areia e pedra à mistura. O Grupo de Mulheres normalmente 9 sacos de cimento utilizado, 2 metros e 1 metros de areia, pedra para paredes e colocar três fileiras de blocos de cimento.
 

Quando as paredes estão prontas, você pode colar as linhas do bloco borda do tanque. Na primeira linha é um pino para cada dois blocos na metade superior do bloco. Pins deve receber cerca de 2-3 polegadas, a fim de segure o plástico, no caso que baixar o nível do conteúdo cisterna. Enquanto que coloca a primeira linha, você pode colocar os tubos corda mistura abaixo os blocos no meio de cada um dos dois curto lados do tanque. (Ver foto abaixo para ver o tubo com a corda) Then na segunda fila bloco, temos de colocar um gancho em cada espaço entre blocos de cada lado do tanque. Após colocar a terceira linha do bloco, rioja tudo o que resta é fazer com que o reservatório piso que pode ser do mesmo mistura de cimento foi utilizado para as paredes, necessitando de mais ou menos um saco de cimento.

[Imagem: biodigester-3.jpg]
 
Agora que o tanque está pronto, você pode fazer o pouco que vai proteger o biogás. Não vou explicar como fazer isso porque existem várias maneiras de fazer com os materiais que melhor lhe servirem. No entanto, vou dizer que é importante para encher o tanque completamente e até mesmo um pouco mais para evitar uma meta no reservatório da água que pode diluir a mistura que está no interior, bem como o contacto direto com sol raios podem danificar o plástico.

Outro elemento que pode ser feito neste momento a bateria está a carregar. Isto é algo que também pode ser feito com os materiais que melhor concordar. O Grupo de Mulheres utilizadas várias formas de tarifação bateria, mas nada que tenha mais de 15 litros de volume, servirá para a montagem no tubo de admissão. Você precisa de algo para tapar o buraco de entrada do tubo para misturar a água e o estrume. Você pode colocar qualquer coisa para tapar o buraco, mas você deve ter uma corrente ou uma corda amarrada a não ter que colocar a mão na mistura líquida de entrar no tanque. Outro maneira de o fazer poderia ser melhor para colocar um galo para o tubo de admissão deve ser tomada ao mesmo tempo que foi encerrada a mistura líquida.


Agora você pode se preparar para colocar o plástico sobre o tanque. Primeiro, temos de coloque o plástico sobre uma superfície plana e limpa avião. (Pedras e outros lixeira danos ao plástico. Quando o plástico está no chão e cortadas à medida 5,5 metros por 2,8 metros, pode marcar uma linha dentro de 20 polegadas Plástico ao longo da sua costa. (Veja foto abaixo) Em seguida, retira quatro pentagonal formas, em cada um dos quatro cantos. Cada lado do pentágonos deve medir cerca de 10 centímetros. Salvar estas peças para uso posterior. Em seguida, use cola para colar tubo de PVC para a borda do plástico uniformemente com a linha que você já fez em 20 polegadas. Isto fará alguns bolsões dos bancos com alguns buracos em cada esquina que irá metros para formar os tubos de plástico.


[Imagem: plastic-sketch.jpg]


[Imagem: biodigester-4.jpg]
 
Depois, há um pequeno buraco no meio do plástico. Para fazer isso é preciso dobrar o plástico como um cobertor em torno de duas vezes. (O resultado será um plástico que é de quatro peças de espessura), em seguida, no canto corresponde a metade do puro plástico, que é cortar um pouco puro ponta. Desdobrar o plástico e você verá um pequeno buraco no meio Plástico. Então, tome dois do Pentágono e antes de cortá-los para ser dois quadrados com lados de 10 centímetros. Faça como um buraco que o buraco na meia plástico nu cada uma das duas praças. Em seguida, utilizando cola de PVC, colar quadrados andaluzia um plástico de um lado e do outro do outro lado. Estas praças, evitará para quebrar o plástico neste ponto mais vulnerável. Depois, ao lado de você escolhe como o fundo de plástico, coloque uma anilha e, em seguida, um adaptador fêmea. Por outro lado, no topo, coloquei outra lava e um adaptador macho que irá se conectar com o feminino e, por outro lado, o tubo de PVC 1 / 2 "dentro do que é biogás para cozinhar.

[Imagem: biodigester-5.jpg]
 
Agora você pode preparar o quadro de tubo de PVC 1 / 2 "detém no banco o tanque de plástico já foi preparada. Para fazer isto, você precisa de ser cortado todos os quatro lados da moldura para caber dentro das fileiras do bloco. Os quatro lados estão indo para se conectar a quatro cotovelos para um único fotograma e, em seguida, temos de tomá-las em conta ao mensurar os lados da moldura. E quando cortadas tubos podem ser colocados nos bolsos e nas margens dos fatos plástico. Então, você tem que ligar o cotovelos para os quatro cantos para terminar moldura. Agora você pode caber no âmbito dos anzóis. Depois, você pode um pedaço de tubo ligado ao adaptador que está no meio do plástico. Se você precisa, você pode colocar uma mão para guiar o biogás em uma direção preferiu ir para a cozinha. (Como se viu na foto) Agora, a uma curta distância a partir do biodigestor, mas ainda dentro da casa de biodigestor, você deve colocar um selo de água dentro de uma garrafa de Coca-Cola muito se o saco inchar, questão em que a pressão da água é excessivo. Tal como na imagem, temos de colocar um tubo, pelo menos, dois centímetros abaixo da superfície, da garrafa. Então, deve haver um passo fundamental para fechar quando o biogás há um longo período sem uso. Então, temos de colocar um tubo para o gasoduto 1 "longo o suficiente para colocar 3 ou quatro pedaços de alambrina. Isto vai é o filtro que retira o biogás que pode manchar as panelas na cozinha. Então lá novamente para colocar o tubo 1 / 2 "para passar o biogás para a cozinha.

[Imagem: biogas-3.jpg]
 
E quando o tubo atinge a cozinha, você vai precisar fazer a conexão com o modelo você tem. Isso não é necessariamente difícil, mas a variedade de modelos e materiais para encaixar os tubos, não vou prescrever um método para uso neste etapa. Quando os tubos são conectados, você pode aumentar o nível de água de cerca de 15 cm acima anzóis tanque. Além disso, você pode chegar ao reservatório de água e mistura resíduos animais e nas proporções indicadas. O reservatório e recolhe digerir os resíduos animais, e em cerca de três semanas de cuidados continuado, terá boa produção de biogás para a cozinha começou com a sua biodigestor novamente.
Veja o projeto de biogás do Grupo de Mulheres de Santa Fe.

 
fonte:http://www.ruralcostarica.com/biodigestor-portugues.html 
publicado em: http://forum.antinovaordemmundial.com



segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Inauguração da Casa Índigo foi um sucesso!






 por Ibiatan Upadian


Com a presença de Diretores de Escola e Representantes da Secretaria Municipal de Educação, da Secretaria de Educação do Estado e do Conselho Tutelar, o Instituto Mensageiros do Amanhecer, neste sábado dia 18 de janeiro de 2014, promoveu a inauguração da Casa Índigo de São José do Rio Preto - SP. 

Outras autoridades como Reitores de Universidades, Diretores de Faculdades, Presidentes de Conselhos Municipais, Promotor e Juiz da Vara da Infância e da Juventude também foram convidados, mas infelizmente não puderam comparecer.

O evento que também contou com presença de Associados, Voluntários e Colaboradores do Instituto Mensageiros do Amanhecer, teve inicialmente uma palestra de apresentação do projeto da instituição feita aos presentes pelo seu Presidente Ibiatan Upadian.

Em seguida foi oferecido aos presentes um coquetel, que serviu não só para celebrar a inauguração da Casa Índigo, mas também o aniversário de um ano da fundação do Instituto.

Nesta Casa Índigo, o Instituto Mensageiros do Amanhecer pretende disponibilizar à comunidade as seguintes atividades:

1 – Escola de Criatividade: Para crianças e jovens de 07 a 17 anos, que sejam superdotadas ou tenham altas habilidades e que estejam cursando o Ensino Fundamental e Médio. Funcionará das 08:00 às 11:30 hs e das 14:00 às 17:30 hs., em dois turnos com 50 alunos cada um, na forma de uma Suplementação Educacional através de oficinas de artes, oficinas técnicas, hortas comunitárias, etc., para, através da criatividade, estimular o desenvolvimento das altas habilidades, potencialidades, virtudes, valores, e talentos destas crianças e jovens, respeitando as suas singularidades e individualidades e contribuindo para a formação de cidadãos mais conscientes, cultos, livres, independentes, competentes, autônomos, responsáveis e solidários.

2 – Escola de Pais: Para pais de crianças e jovens de qualquer idade, independente de serem alunos da instituição, com o objetivo de conscientizar estes pais da necessidade de acompanharem e participarem mais ativamente da formação das crianças na escola, trazendo-os a participar de cursos, palestras, atividades de terapia ocupacional, etc., através dos quais estarão sendo informados sobre quem são estas crianças, quais são as suas potencialidades e orientados sobre a melhor forma de educá-las no lar e na escola.

3 – Escola de Educadores: Para educadores da instituição e de outras instituições, públicas e/ou privadas, promovendo a capacitação profissional destes educadores e preparando-os para educar estas crianças.

4 – Clínica de Atendimento Terapêutico Holístico: Tem como função estabelecer um Acompanhamento Psicossocial, Médico e Terapêutico para crianças e jovens índigos, de qualquer idade, independente de serem alunos da instituição, mas com prioridade para os alunos, realizando entrevistas de crianças e jovens e respectivos pais, traçando o perfil dos mesmos, identificando aqueles que são índigos e promovendo o equilíbrio físico, energético e psicológico destes através da Medicina Homeopática e Ortomolecular, das Terapias Alternativas ou Complementares (acupuntura, reflexologia, massoterapia, reiki, fitoterapia, florais, cristalocupuntura, cromoterapia, cura quântica, etc.) e de outros profissionais da área de saúde holística, como psicólogos, fonoaudiólogos, psicoterapeutas, psicopedagogos, etc.

5 – Eventos para associados e para a comunidade: Fora do horário normal de funcionamento da Escola de Criatividade, que será de segunda a sexta-feira, das 07:30 às 18:00 hs, a Casa Índigo estará promovendo no local ou eventualmente em outros locais, as atividades da Escola de Pais e outros eventos para os pais de alunos, associados e para à comunidade em geral, com cursos, palestras, grupos de estudos, workshops, etc. sobre os mais variados temas, como por exemplo, alimentação natural, agricultura orgânica, permacultura, medicina natural e terapias alternativas, educação especial, crianças índigo, reiki, yoga e meditação, etc.

A Escola de Criatividade terá um projeto pedagógico próprio fundamentado numa Pedagogia Holística, especialmente preparado para estas crianças, que terá como base as pedagogias Waldorf, Montessori, Construtivista, Freinet, Centros de Interesses do Decroly, Escola da Ponte, Educação de Valores do Sai Baba, Pedagogia do Ser Integral do Sri Aurobindo e outras pedagogias libertadoras.

O Instituto Mensageiros do Amanhecer, conforme estabelece o seu Estatuto Social, “é uma associação filantrópica e beneficente, sem fins lucrativos e sem qualquer caráter religioso ou político-partidário, que tem como finalidade prestar orientação, assessoria, assistência, apoio e amparo, educacional, pedagógico, psicossocial e terapêutico às crianças e jovens especiais, superdotados ou portadores de altas habilidades, às suas respectivas famílias e a seus educadores, promovendo o desenvolvimento de sua criatividade, habilidades e potencialidades e facilitando a integração entre estas crianças, a escola, a família e a sociedade.” 

Instituto Mensageiros do Amanhecer 
Rua Santos Dumont, 36 – Vila Ercília – CEP 15013-100  
Fones: (17) 3121-6105 / 3012-9352 e 3022-7258  
São José do Rio Preto–SP  
Inscr. Munic. 3197470  – CNPJ 17.526.993/0001-32  
e-mail: instit.mensageiros.amanhecer@gmail.com

 Fotos do Evento:









Nas fotos acima Ibiatan Upadian faz uma breve apresentação do projeto aos presentes, auxiliado pelo garotinho índigo Joaquim, de apenas dois anos.







 



Venha conhecer o nosso projeto e torne-se também um associado de nossa instituição, não paga nada, não tem mensalidade.

Estamos necessitando com urgência de pessoas que tenham alguma experiência na área de artes (musica, dança, teatro, pintura, escultura, artesanato, etc.), de informática (web designers, designers gráficos, etc.), ou ainda de professores de yoga e outros, que gostem de ensinar e de trabalhar com crianças e jovens para exercerem a função de Monitores nas nossas oficinas como Voluntários.

Precisamos também de profissionais como pedagogos, professores, psicólogos, psicopedagogos, psicoterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas (massoterapeutas, acupunturistas e outros), assistentes sociais, sociólogos, médicos, principalmente homeopatas e ortomoleculares, advogados, recepcionistas, nutricionistas, administradores, auxiliares administrativos, auxiliares de manutenção, conservação e limpeza, etc., os interessados deverão entrar em contato conosco através do e-mail: ibiatan.upadian@gmail.com

As inscrições de crianças e jovens para a Escola de Criatividade já estão abertas, os pais ou responsáveis interessados devem entrar em contato conosco com urgência e agendar uma entrevista.